quinta-feira, 23 de março de 2017

Vamos falar sobre fracasso?

Palestras sobre casos de sucesso não faltam, mas o que poucos contam são os seus fracassos e o que aprenderam com experiências negativas.



Criado em setembro de 2012, no México, o Fuckup Nights começou como um desabafo no bar entre amigos. Atualmente, o evento acontece em mais de 196 cidades, espalhadas por 67 países.


A cada encontro, quatro empreendedores compartilham seus fracassos e contam como superaram suas falhas, mostrando que o erro faz parte do aprendizado. O próprio evento é um exemplo de como o fracasso pode ser utilizado como crescimento.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Liberstad, um projeto de cidade libertária na Noruega

Liberstad é um projeto que pretende estabelecer a primeira cidade libertária da Noruega, onde toda a propriedade será privada e todos os serviços serão prestados por agentes privados. A cidade será construída seguindo a filosofia anarquista, o princípio da não-agressão e direitos de propriedade.



John Holmesland, responsável pelo empreendimento, e sua equipe, começaram a procurar propriedades em agosto de 2015 e encontraram a fazenda Tjelland, situada no município de Marnardal, no sul da Noruega, com o “tamanho apropriado, localização, internet e conexão elétrica, abastecimento de água, bom terreno de construção e nenhum morador permanente nas propriedades vizinhas”.




De acordo com Holmesland, o objetivo a longo prazo é transformar Liberstad em uma cidade-estado autônoma com sua própria economia, semelhante a Hong Kong, Cingapura ou mesmo Mônaco, mas sem política, impostos e políticos. Os serviços básicos da cidade, como escolas, hospitais, casas de repouso, segurança, coleta de lixo, tribunais e companhias de seguros serão fornecidos “no mercado interno ou através de organizações voluntárias isentas de qualquer imposto.

domingo, 12 de março de 2017

Entre Fronteiras e a Ilha Brasileira

Na série Entre Fronteiras, o documentarista Luís Nachbin busca histórias inéditas e inspiradoras, por dezenas de fronteiras do Brasil e da África. Nachbin viaja sozinho – ele mesmo opera câmera e faz a captação de áudio ao entrevistar os personagens. O resultado é uma abordagem mais intimista, em interações que se desenvolvem com muita espontaneidade. Por ser um viajante solitário, Nachbin é acolhido de forma diferente pelos seus anfitriões, que revelam seus cotidianos, seus sonhos, suas angústias com naturalidade, enquanto o espectador conhece a cultura local.


No sul do Brasil, fronteira com Uruguai e Argentina, está a ilha de nacionalidade duvidosa e nome sugestivo: Ilha Brasileira. O cenário verde, cercado de rios, é o pano de fundo para uma história de dedicação. Seu Zeca, com mais de 90 anos, passou as últimas cinco décadas cuidando e ajudando a preservar a ilha. Para muitos, ele se tornou a fronteira em carne e osso. A rotina desse humilde herói é desvendada por Luís Nachbin.



Situada exatamente na tríplice fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina e o Uruguai, a Ilha Brasileira é praticamente desconhecida. Seu Zeca foi o único morador e atualmente existe um projeto de transformar a área de 200 hectares em um parque municipal de preservação ambiental.

Com mata nativa, a região é rica em biodiversidade com muito potencial para se tornar uma atração turística ecológica.

domingo, 5 de março de 2017

Aplicativos que deveriam existir

Os aplicativos revolucionaram o telefone. Hoje, passamos boa parte do tempo conectados utilizando diversos aplicativos que facilitam bastante a comunicação, mas quais aplicativos ainda estão faltando no celular?


Com a maioria da população conectada, a tendência são os aplicativos se tornarem cada vez mais presentes no dia-a-dia.



 Seguem as minhas sugestões. Deveria ter um aplicativo que ...
  1. mostrasse onde encontrar o produto mais barato;
  2. você perguntasse qualquer coisa e alguém respondesse;
  3. você cantarolasse qualquer parte da música e alguém dissesse qual é;
  4. a gente compartilhasse dicas do que fazer e onde ir;
  5. funcionasse como um classificado;
  6. encontrasse profissionais da sua região;
  7. listasse e sugerisse filmes, músicas e eventos;
  8. fizesse um histórico de consultas médicas com diagnósticos e medicação;
  9. reunisse pessoas por afinidade para conversar sobre assuntos preferidos;
  10. para os usuários registrarem refeições diárias e receberem orientação nutricional;
  11. recebesse informações de uso do veículo sugerindo ajustes e manutenção;
  12. conectasse produtores e consumidores sem intermediários;
  13. agendasse atendimento e mostrasse o horário de espera;
  14. tivesse o cardápio online e permitisse pedir pelo próprio aplicativo.
E você, quais aplicativos gostaria de ter no seu celular?

sexta-feira, 3 de março de 2017

O Fim do Sonho Americano

Em uma série de entrevistas realizadas durante quatro anos, o linguista, filósofo e cientista político Noam Chomsky discute como a concentração de riqueza e poder entre uma pequena elite polarizou a sociedade americana e provocou o declínio da classe média.


Chomsky aborda a economia, política e sociedade, baseado em 10 princípios da concentração de riqueza e poder, que foram colocados em prática pela elite americana nos últimos anos para transformar os Estados Unidos em uma plutocracia (sistema político no qual o poder é exercido pelo grupo mais rico), não mais numa democracia.



Seguindo a receita neoliberal, a riqueza se mantém na mão de poucos enquanto os demais trabalham para manter o sistema funcionando.
  1. Reduzir a democracia
  2. Moldar a ideologia
  3. Redesenhar a economia
  4. Deslocar o fardo de sustentar a sociedade para os pobres e classe média
  5. Atacar a solidariedade
  6. Controlar os reguladores
  7. Controlar as eleições
  8. Manter a ralé na linha
  9. Fabricar consensos e criar consumidores
  10. Marginalizar a população
Com os custos de direitos básicos, como moradia, saúde e educação cada vez mais altos, o sonho americano de enriquecer através do trabalho se torna praticamente inacessível.